7 de outubro de 2008

Reportagem: Fluffy

Gente, estava organizando meus e-mails antigos quando me deparei com esse e-mail enviado pela Vanessa em fevereiro de 2007, foi tão divertido relê-lo que quiz postar aqui pra dividir com voces esse texto super bem escrito e engraçado.

Leiam, assim como eu, tenho certeza q voces irão adorar!!

Exclusivo! ex-gatinho abandonado leva vida de marajá em Minas Gerais

Nossa reportagem investigativa, seguindo denúncias, descobriu com exclusividade o paradeiro do gatinho Pom-Pom. Ex-morador de ruas, Pom-Pom havia sido resgatado há mais de 2 anos pela equipe do "Adote um Gatinho".


Em março de 2005, Pom-Pom foi adotado e para despistar as autoridades felinas, mudou seu nome para Fluffy. Em julho do mesmo ano mudou-se para Minas Gerais, onde conheceu Tommy, que se tornou seu mentor na arte da caça aos pássaros e ratos, e ensinou o garoto da cidade a subir no telhado.

Hoje escolado na arte de perseguir os cães da propriedade, Fluffy virou um matuto da roça mas se considera o rei do local. Seu pêlo macio e comprido e seu rabão de esquilo atrai peregrinos da vizinhança para conhecê-lo. Mimado por todos os habitantes da região, especialmente as crianças que adoram apertar sua barriga avantajada, Fluffy se considera o gato mais gato da região, e faz um charminho pra ganhar queijo, carinhos e sorvete de doce-de-leite mineiro.

Mas nem tudo são flores e ratos na vida de Fluffy: Esmeralda, uma siamesa do vizinho, jura que ele é pai de seus gatinhos. Fluffy nega veementemente, e diz que Esmeralda dorme com todos os gatos da região. Ele não vai pagar ração alimentícia até que um teste de DNA seja feito no Programa do Gatinho.

Confira as imagens registradas por nossa enviada especial!

******************************************************************************

Quis fazer uma homenagem a vocês pelo carinho com que resgatam, tratam e cuidam dessas criaturinhas tão lindas. Recebo e leio sempre os boletins, e me comovo com as histórias de luta e sofrimento de tantos gatinhos. Mas para dar uma pausa nas lágrimas e também ver o lado positivo do trabalho de vocês, eu quis enviar essas imagens do Fluffy, que graças a vocês leva uma vida de rei e é amado por muita gente. Ele viria comigo pros EUA em princípio, mas quando eu descobri a crueldade que é transportar bichinhos em avião, eu desisti. Ele mora com minha mãe no sítio em Minas e é muito feliz lá. O Tommy tinha 6 anos quando desapareceu no ano passado, era o gato mais companheiro do mundo. Minha mãe sente muito a falta dele, mas adora o Fluffy. Essas fotos mostram o dia-a-dia do Fluffy por lá, afiando suas garrinhas, descansando na janela, enroladinho na manta, aos pés da minha mãe (ele é meio tarado por pés, hahaha), e a última foto é dos filhotes da Esmeralda, que não têm nome mas já foram adotados. Saibam que a vidinha feliz que ele leva só é possível graças ao trabalho de vocês. Imaginem a alegria dele correndo pela grama tentando arrastar a barriga gorda dele pra caçar um pássaro, e saber que ele só pode fazer isso porque vocês se importaram com a vidinha dele. Ele é muito grato e eu também. Obrigada pelo lindo trabalho que vocês fazem.

Ah, e mesmo não tendo trazido o Fluffy, meu noivo e eu adotamos dois gatinhos: Tom e Jerry. Estão com 8 meses, lindos e fofos. Também foram adotados de uma senhora que faz o mesmo tipo de trabalho que vocês. Ela tem uma enorme paixão pelos bichanos, e chorou quando levamos os gatinhos, de tanto amor que ela tem neles.

Encerro deixando um grande abraço a vocês e mais uma vez, muito obrigada!

Vanessa

Um comentário:

Helda disse...

kkkkkkkkk....
Um barato essa "reportagem" do ex-gatinho abandonado......
Janaína, parabéns pelo blog. Gostaria de saber como faço para ajudá-la. No momento não posso contribuir financeiramente, mas tenho muita disposição e amor pelos bichanos. Tenho 2 em casa que adotei no AUG : uma mamãe (Lena) e seu bebê (Lino).
Se quiser, pode me escrever: shelda05@hotmail.com ou helda.rocha@gmail.com.
Abraços.....