22 de abril de 2010

A dor de dizer adeus.

Gente, estive ausente por uns dias, pois realmente não tinha cabeça pra muita coisa...

Ontem fez 1 semana que o meu gatinho Graxinha morreu...

pra mim ainda é muito difícil falar sobre isso, e só Deus sabe o quanto tenho sofrido... tento ser forte e seguir em frente, a vida continua, mas ainda dói muito e hoje estou especialmente triste, pois a impressão de que foi tudo um sonho ruim e que ele estará em casa quando eu chegar do trabalho está ficando cada vez mais distante... e a realidade é muito dura.

Nessa última crise de insuficiência renal, meu filhinho chegou ao nível absurdo de creatinina superior a 18 (o máximo é 1,8 )!! A veterinária nunca tinha visto um caso assim, na crise anterior em 2008 ele chegou a 12 e já foi uma grande luta conseguir recuperar o quadro, mas dessa vez, nada pôde ser feito..., apesar dos dias internados na clínica para soroterapia, ele saiu muito magro e muito apático.

Fiquei muito preocupada ao vê-lo tão magro e fraco... cheguei a interná-lo na UTI no sábado (como fiz na crise de 2008), mas dessa vez, nada poderia fazê-lo ficar bem... mesmo com todo o tratamento intensivo, com todas as orações, só um milagre poderia salvá-lo.

Foram dias de muita tristeza, vê-lo definhando numa UTI fria e sem carinho, sem comer, sem responder aos tratamentos, sem corresponder aos nossos carinhos, com a pressão e temperatura baixas e eu só conseguia chorar e pedir à Deus que fosse feita a Sua vontade...

Quando fui à clínica para visitá-lo, na segunda (dia 12), a veterinária chegou a dizer que o melhor a fazer seria aliviar o sofrimento do animal..., mas eu não teria coragem de colocar meu filhinho pra dormir... enquanto houvesse vida, eu teria esperança e um milagre poderia acontecer!

Resolvemos tirá-lo da UTI e levá-lo pra ficar em casa..., se a hora dele partir estivesse chegando, eu acho que ele gostaria de viver seus últimos momentos em casa, no lugar em que ele sempre foi feliz... e não numa clínica fria... sem a nossa presença...

Eu e meu marido providenciamos tudo para que ele tivesse conforto... forramos o chão do escritório com edredon e cobertores quentinhos, colocamos aquecedor e ficamos o tempo todo ao seu lado... meu marido dormiu duas noites no chão, ao lado dele... todas as vezes que ele se mexia ou levantava, lá estava o Giuliano para ampará-lo...

Na terça ele vomitou e precisamos tirar a sonda (a única maneira de alimentá-lo nesses últimos dias), ele ainda tomou soro e medicamento na clínica veterinária. Foi pra casa com uma pequena melhora e estávamos felizes de que havia uma esperança.

Mas de madrugada ele teve a primeira convulsão... e durante o amanhecer teve mais duas... eu fiquei o tempo todo ao seu lado... chorando, rezando e pedindo à Deus que o libertasse de tanto sofrimento.

É doloroso demais voce ver alguém que voce ama sofrendo desse jeito...

O Graxinha sempre foi como um filho pra gente... meus animais fazem parte da família... e ele um filho especial, fragilizado pela doença.

Quando ele partiu eu senti uma mistura de tristeza e alívio... não aguentava mais tanto sofrimento... essa doença maldita estava consumindo o meu filhinho... e naquele momento já não existia mais dor.

Eu ainda não consigo entender o que aconteceu... como um gatinho tão jovem (ele não tinha nem 5 anos...) e tão bom poderia passar e sofrer tudo isso... eu quero acreditar que Deus quiz o Graxinha pra Ele e levou-o de mim, pois tinha muito mais pra dar à ele do que eu... e entre tantas coisas boas que Deus tem pra ele estão dias lindos de sol e de preguiça com saúde e alegria...

Ainda é duro chegar em casa depois do trabalho e não ter o meu gatinho me esperando na porta... ele sabia a hora certa que a gente chegava do trabalho e pulava na porta ao ouvir o barulho do elevador...

ainda é doloroso não ter aquele carinho, aquele miadinho carinhoso ao me olhar bem no fundo dos olhos... aqueles olhos verde mais lindos do mundo...

é doloroso ter um sábado de sol sem o meu gatinho se espreguiçando em cima da máquina de lavar...

não vê-lo dando cabeçadas e miadinhos no colo do Giuliano...

dormir sem ter aquele corpinho do lado pra nos aquecer...

Tantas coisas... que machucam e fazem as lágrimas escorrerem sem parar...

Eu espero que o tempo de encarregue de cicatrizar essa dor... mas espero que o mesmo tempo não seja capaz de me fazer esquecer o som do seu miadinho, o jeitinho de olhar piscando, o cheirinho do bafo após um beijo, o toque macio do seu pêlo e o amor que ele nos dava todos os dias.

Não quero me esquecer de nenhum desses detalhes...

O Graxinha foi um filho tão bom e carinhoso... o amor que ele nos deu... foi tudo tão maravilhoso e especial...

Ele ficará pra sempre no meu coração e no coração do Giuliano... a dor que sentimos hoje vai passar... e vai ficar só as boas lembranças e saudades do filho querido.

Sabia que ia ser difícil fazer essa postagem, estou muito triste...

Mas vou pedir forças à Deus pra seguir em frente, pois tenho minha família, meus outros filhos que eu amo e são tão importantes na minha vida... e também tantos outros peludinhos carentes que precisam muito de mim.

E... ao meu Graxinha... a minha saudade... o meu amor de mãe... até o dia que possamos nos encontrar.

Jana

11 comentários:

Patricia Herani disse...

Ah Jana... Esta é a segunda vez que tento te escrever, mas as palavras me faltam e as lágrimas brotam dos meus olhos. Amiga, te envio vibrações de Luz e Amor para tranquilizar o seu coração tão generoso. A dor passa, a saudade e o amor ficam. São Chiquinho vai cuidar bem do seu Graxinha que vai alegrar muito o Céu.
Força, força, força!!!
Deus continue te iluminando e protegendo
Bjos floridos

Carol De Nardi disse...

Jana, o Graxinha realmente era um gato especial. Uma luz especial brotava daqueles olhos verdes tão destacados naquele rosto com cavanhaque.
Esta luz especial te abençou diretamente por um tempo, enquanto ele viveu com você. Porém, tenho a certeza que a luz do Graxinha continuará te acompanhando e te amparando por um bom tempo, mesmo que ele não esteja tão perto fisicamente como antes.
Graxinha era um ser tão tão tão especial, que Deus só poderia nos deixar compartilhar por curto espaço de tempo.
Eu acredito que encontraremos o Graxinha muito em breve.
Pense que os animais são anjos de quatro patas, que possuem a missão de nos auxiliar no nosso desenvolvimento humano e espiritual. Graxinha fez o seu papel e ele será eternamente grato por todo o seu amor.
Força amiga. Graxinha tá olhando por você !
beijos com muitas lágrimas.
Carol

juliana disse...

Jana,
Vc nao deve me conhecer, mas sigo o seu blog ha um tempinho já, fiquei muito triste com a sua perda. Só quem tem um filhinho de 4patas sabe como eh dificil dizer adeus. Nem sei o que te falar, porq sei que a dor que vc esta sentindo eh muito grande, e só o tempo mesmo para curar essa dor... Pense nos momentos bons que vcs viveram juntos, tenho certeza que o Graxinha foi um gatinho muito amado e feliz, e eh isso que importa! As pessoas que amamons nunca nos deixam, estao sempre presentes em nossos coraçoes. Querida, sinta-se abraçada Bjs
Juliana

Juliana disse...

A Ponte do Arco-íris

“Neste lado do paraíso existe um lugar chamado Ponte do Arco-íris. Quando um animal morre, aqueles que foram especialmente queridos por alguém, vai para a ponte do arco-íris.

Lá existem campos e colinas para todos os nossos amigos especiais, pois assim eles podem correr e brincar juntos. Lá existe abundância de comida, água e raios de sol, e nossos amigos estão sempre aquecidos e confortáveis.
Todos os animais que já ficaram doentes e velhinhos estão renovados e com saúde e vigor; aqueles que foram machucados e mutilados estão perfeitos e fortes novamente, exatamente como nós nos lembramos deles nos nossos sonhos, dos dias que já se foram.

Os animais estão felizes e alegres, exceto por uma coisinha: Cada um deles sente saudades de alguém que foi deixado para trás. Todos eles correm e brincam juntos, mas chega um dia, quando um deles pára de repente e olha fixo na distância. Seus olhos brilhantes estão atentos; seu corpo fica impaciente começa a tremer levemente. De repente, ele se separa do grupo, voando por sobre a grama verde, mais e mais rápido.

Você foi visto e quando você e seu amigo especial finalmente se encontrarem ficarão unidos num reencontro de alegria, para nunca mais se separarem. Os beijos de felicidade vão chover na sua face; suas mãos vão novamente acariciar tão amada cabecinha, e você vai olhar mais uma vez dentro daqueles olhos cheios de confiança, que há muito tempo haviam partido da sua vida, mas que nunca haviam se ausentado do seu coração. Então vocês, juntos, cruzarão a ponte do arco-íris”

Anônimo disse...

Eu já me despedi de muitos filhos peludos ,sei como é triste,demora para passar,mas um dia fica a doce lembrança,pense que ele está num plano melhor ,que a dor acabou para ele,bjs Valdete

Anônimo disse...

Ai Jana, até chorei lendo tudo isso.Também acho que vcs se encontrarão na ponte do arco-íris! Más, acho que esse anjinho estará por aí ainda um tempinho ao seu lado afinal p mim esses anjinhos tem alma, e porque não?!Vc só não o verá(ou verá?!), más, sentirá sua presença dentre outras coisas.. pode ter certeza!
Eu nem quero imaginar qdo acontecer isso a minha anita.Só Deus mesmo amiga!bjs e fica com ele e coms eus anjinhos que também devem estra sentindo falta do irmãozinho más, estão aí p te reconfortar, bem como so amigos.katherine

Helda disse...

Jana, que Deus conforte o seu coração...
Não é fácil perder quem a gente ama...
Saiba q aki tem um ombro amigo p/ o q precisar..
Um grande beijo...e forças, querida...

Veri Gravina disse...

O Graxinha teve muita sorte de ter papais maravilhosos como vocês dois. Fica sempre a tristeza e a saudade, mas sempre muito gratos pelas emoções vividas e carinhos trocados. Rezei por você, Janinha, hoje e sempre. Um beijo mais apagadinho lendo esse post, mas com certeza que coisas excelentes estão por vir. Um beijo gigante.

Janaina Vidal disse...

Queridas Pati, Carol, Julianas, Valdete, Kath, Helda e Veri.

à todas voces meu muito obrigada pelas palavras de carinho e força que nessa hora são tão importantes pra gente...

a saudade que sentimos é muito grande, às vezes tenho a impressão q ele está em casa... noutras parece q a tristeza por não vê-lo mais nunca vai passar.

mas, agora consigo respirar fundo e acredito q ele está bem melhor ... e está me esperando... para atravessarmos juntos a ponte do arco-íris.

Obrigada por todo carinho!!

Bjs e desculpem a ausência... aos poucos vou conseguindo colocar as coisas em ordem e aí tudo ficará bem.

Bjs

Jana

Michelle disse...

Oi Janaína, meus sinceros sentimentos.
Tb passei por isso ano passado...adotei meu Leopoldo, que ficou comigo apenas 8 meses, ele já era adulto, veio para minha casa super assustado e comigo descobriu o amor e a felicidade, pois enquanto ele viveu comigo ele era um gato feliz, amado e não tinha mais nada de assustado. Ele morreu de HCM uma doença cardíaca, e sofreu demais..tanto ele como nós. Eu sei o que vc está sentindo, pois não é fácil...se me falassem para dar cambalhotas que ele melhorava eu fazia..álias fiz de tudo. Mas chegou uma hora que não dava mais, e tive que optar por aliviar seu sofrimento. Sempre fui contra esse tipo de coisa, mas quando a veterinária me disse que ele iria sofrer mais se não fizesse isso, optei pela eutanásia.
Mas fiquei do seu lado, segurando suas patinhas até que ele fosse...é duro, a dor é difícil de passar..mas depois de um tempo a gente entende melhor. Com certeza o céu hoje está mais amarelinho e ronronante.
Beijos,
Michelle

Art by Lu disse...

Janaína,

Lembre dos bons momentos e de tudo que fez por ele. Você sozinha fez e faz mais do que muita gente, faz a diferença para muitos animais e fez a diferença para ele, isso é especial, é totalmente do bem = )

O tempo dele aqui terminou, mas isso não deve ser motivo de tristeza profunda. Claro que sentirá saudades, mas pense que o tempo dele aqui foi bom e feliz graças a você.

Beijão